Missões Mundiais

 

Vietnã

100º Aniversário da Igreja Protestante no Vietnã

O evangelista Luis Palau retornará ao Vietnã na Primavera deste ano cerca de um ano depois de participar de uma reunião histórica com mais de 500 pastores do Vietnã.

A visita agendada de Palau coincidirá com o 100º aniversário da Igreja protestante no Vietnã. O encontro marca o aniversário da Igreja protestante será o primeiro desde que o governo comunista do país tomou o controle em 1975.
O evangelista mundialmente famoso fará uma aparição na capital do Vietnã, Hanói e Ho Chi Minh City (antiga Saigon), em abril. Em junho, Palau visitará Hanói e Danang para participar nos eventos e cultos de celebração.

Os líderes locais estimam que o público nos eventos vá chegar a centenas de milhares.

No ano passado, Palau disse aos pastores vietnamitas para respeitarem os líderes do governo e orarem por eles, de acordo com Christian Broadcasting Network. Ele também encorajou os pastores a fazer planos maiores e fazer grandes orações.
Apesar de comunista, o Vietnã parece ter melhorado o seu recorde de liberdade religiosa em sua oferta para se juntar à Organização Mundial do Comércio (OMC), que obriga o país a retirar-se da lista americana de “país de preocupação particular.”

Em novembro de 2006, os Estados Unidos levantou a designação CPC e o Vietnã tornou-se membro da OMC em janeiro de 2007.
Em dezembro de 2010, cerca de 40.000 pessoas participaram de um culto de adoração público ao ar livre com a autorização do governo. Na ocasião, as Igrejas até realizaram eventos evangelísticos ao ar livre.

Mas o Vietnã continua a enfrentar críticas por parte de vigilantes da liberdade religiosa.

A Comissão dos EUA sobre Liberdade Religiosa Internacional, uma comissão bipartidária do governo federal que monitora a liberdade religiosa no mundo, tem recomendado repetidamente que o Vietnã seja colocado de volta na lista dos países se preocupação particular.
O Vietnã, apontado por, continuamente aprisionar a liberdade de religiosos proeminentes e ativistas de direitos humanos que criticam as autoridades pela elaboração de leis que sejam incompatíveis com o acordo existente da Constituição atual e dos direitos humanos da nação.

O Relatório de Direitos Humanos de 2009, publicado em março, afirma que o registro de direitos humanos do Vietnã continua a ser problemático, apesar das promessas que o governo fez à comunidade internacional.
“O governo aumentou a sua supressão da dissidência, prendendo e condenando vários ativistas políticos,” diz o relatório. “O governo utilizou ou tolerou o uso da força para resolver disputas com uma ordem budista em Lam Dong e grupos católicos com as reivindicações de propriedade não resolvidas. Os trabalhadores não tinham a liberdade de organizar sindicatos independentes e ativistas sindicais independentes enfrentaram prisão e perseguição.”

Apesar da reputação do Vietnã, Palau continua mostrando otimismo para seu próximo retorno.

“Estes eventos representam um enorme avanço no seio da nação, mostrando a boa vontade que tinha sido construída entre a liderança do governo e da comunidade da Igreja,” a Associação Luis Palau comentou em um comunicado à imprensa. “Também representa a primeira vez em que todas as denominações se reuniram em unidade e parceria.”

Desde 1999, os festivais evangelísticos Luis Palau têm atraído mais de 8,8 milhões de pessoas, de acordo com a Associação Luis Palau. O evangelista, que nasceu na Argentina e agora mora na região de Portland Oregon, afirma ter compartilhado o evangelho com mais de um bilhão de pessoas através do rádio, televisão, Internet, livros e artigos.

FONTE: THE CHRISTIAN POST

———————————————————————————————-

Rússia

Russia
Palco de constantes atentados e de conflitos que perduram por anos, país sofre novamente por conta de novo ataque à bomba. A Capital, mais uma vez, foi o alvo.         

Localização: Norte da Eurásia (Europa e Ásia).
Capital: Moscou.
Idioma: Russo (oficial) e línguas das repúblicas
Religião: Cristianismo (59,7% (ortodoxos, 54,1%; outros: 6,2% – dupla filiação: 0,7%); sem religião: 25,8%; islamismo: 7,6%; ateísmo: 5%; outras: 1,9% (2005)  

Um atentado terrorista ocorrido na capital, Moscou, na última segunda-feira, 24/1, deixou 35 pessoas mortas e outras 130 ficaram feridas. O alvo escolhido para uma explosão à bomba fora o Aeroporto Internacional Domodedovo, no terminal de desembarque internacional. Acredita-se que um homem-bomba teria detonado os explosivos. Domodedovo é considerado um dos maiores aeroportos europeus. Por conta justo desse fato e atribuindo-se como irresponsabilidade da direção de transportes do Ministério Interior em relação à segurança do aeroporto é que nessa última quarta-feira, 26/1, o presidente russo, Dimitri Medvedev, destituiu o chefe que ocupava essa posição. O metrô da capital russa já fora alvejado seis vezes em 12 anos.

 Não é a primeira vez que a capital do país é alvo de atentados como esse. Tem sido assim nos últimos 15 anos. Muitos desses ataques têm sido atribuídos a rebeldes tchetchenos. Pontos como centros comerciais, trens, hotéis e teatros já foram atingidos por carros-bomba e suicidas. Como em junho de 1996, quando uma bomba instalada na linha Serpukhovsko-Timiryazevskaya do metrô matou quatro pessoas e feriu outras 12. Ou em janeiro de 1998, quando uma bomba feriu três pessoas na estação de metrô de Tretyakovskaya. Em agosto de 1999, com a explosão de uma bomba em um shopping center, uma pessoa morreu e outras 40 ficaram feridas. No ano seguinte, em agosto de 2000, 13 pessoas morreram e mais 118 ficaram feridas devido a explosão de uma bomba no túnel de pedestres que leva à estação de Tverskaya, também no metrô. Em fevereiro de 2001, outra explosão feriu 20 na estação de metrô de Belorusskaya. Em outubro de 2002, uma bomba fora detonada dentro de um carro próximo a uma grande lanchonete faz-food. Uma pessoa morreu e outras oito ficaram feridas. No mesmo ano, mas no mês seguinte, novembro, um grupo de militantes separatistas da região da Tchetchênia tomou como reféns cerca de 900 pessoas num teatro da capital. A invasão da força antiterror da Rússia, que usara gás venenoso contra os militantes, matou 130 pessoas. Em dezembro de 2003, uma bomba fora detonada por um suicida perto do Hotel Nacional, matando seis pessoas morreram e ferindo outras 14. Já em 2004, em fevereiro, um ataque suicida no metrô matara 41 pessoas e ferira mais 250. Em agosto, um homem explodira a si mesmo numa estação de metrô, deixando 10 mortos e 33 feridos. Em novembro de 2009, uma bomba explodira perto de um trem expresso de luxo que parira de Moscou rumo a São Petersburgo, matando 26 pessoas. Extremistas tchetchenos assumiram a autoria do atentado. Em março de 2010, duas mulheres-bomba explodiram estações de metrô da capital, causando a morte de 40 pessoas morreram e ferindo pelo menos 90. Cada um dos atentados mencionados, bem como esse mais recente, foi manchete em toda a imprensa no próprio país e no mundo.    

Demandas e desafios

    Não é apenas em razão do delicado quadro sócio-politico-econômico e que está inserido o país que Rússia representa um enorme desafio em termos de evangelização. Ainda que a liberdade de expressão e manifestação da fé seja uma garantida dada pela constituição, discriminação e restrições parecem fazer parte de sua história. A nação é tida com uma das mais orgulhosas, talvez por conta do que ela representava no passado não tão longínquo assim, ainda que isso não justifique. Ironicamente, porém, a Federação parece viver um quadro hoje de total desespero. Saqueada e despojada sistematicamente por indivíduos que a enganaram com a moral destrutiva comunista, sem contar por ter “vendido” uma democracia que soou mais como farsa e falsa que realidade e verdade, por ter “apregoado” um progresso econômico que se descobriu, a duras e amargas penas, como uma “ilusão”, pelo fato de o capitalismo ter sido “pretexto” para a exploração e o banditismo e ainda somada à falhas de uma liderança política e mesmo religiosa que impediram que as esperanças de uma renovação espiritual ocorrida na década de 1990 fosse estabelecida de fato é que a Rússia hoje um delicadíssimo quadro de pobreza e frieza espiritual.

    Por tudo que a nação russa hoje enfrenta e vive, por conta de seu amargo passado, seu temeroso presente e um futuro incerto inquieto em que muitos parecem não acreditar, somada às questões delicadíssimas relativas à fé e ao culto a Deus é que ela é o alvo de nossas orações. Clamemos a favor da Rússia:

– Para que Deus visite seu povo com um grande mover e uma frutífera renovação espiritual;
– Para que o Pai cure sua população de traumas e cicatrizes do passado e dos temores e “fantasmas” do presente e do futuro;
– Para que Deus dê graça e sabedoria aos governantes, do baixo ao alto escalão, a fim de que possam guiar o país não com mão de ferro, mas com mãos de favor, graça, misericórdia, equidade e justiça;
– Pelo fim definitivo dos atentados e conflitos seja de que ordem for, e pelas famílias vítimas desse contexto que tanto sofrem e tem sofrido. Como agora, quando foram alvos de mais um ataque à bomba. Que Deus os conforte e console.  E que a paz seja estabelecida de uma vez por todas.
– Pela Igreja de Cristo nesse país, a fim de que muitos acordem de seu “sono profundo e letárgico”, para agir em prol de muitos que estão prestes a ser vítimas não de um ataque suicida ou á bomba, ainda que isso seja também grave, mas à condenação e fogo eternos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s